Dezoito anos de progresso na Caminhos do Paraná

0

Caminhos do Paraná

As concessionárias que operam 2500 quilômetros de rodovias no chamado Anel de Integração do Paraná completaram 18 anos de atividades no final do ano passado. As empresas, que são sociedades de propósito específico – SPEs – foram criadas em 1997 para assumir rodovias que, apesar de estratégicas para o Paraná, tinham péssimas condições de segurança e trafegabilidade. A Caminhos do Paraná assumiu, naquele momento, a gestão de um trecho que apresentava sérios problemas de conservação. Conforme lembra o técnico de laboratório de obras Acácio Ferreira, que trabalha na empresa desde sua fundação, a situação era caótica. “Todas as pontes eram estreitas, não tinham acostamento e muitas tinham problemas estruturais. Acostamento e placas eram luxo, em muitos pontos eles não existiam ou eram totalmente impraticáveis”. Ele também afirma que os buracos faziam da viagem verdadeira loteria. “À noite, então, poucos se arriscavam, pois se caísse em um buraco daqueles, além do risco e do prejuízo a pessoa não tinha a quem recorrer”, relembra.

Andrade explica que os primeiros seis meses foram destinados a trazer alguma normalidade às rodovias. “Fizemos operações de tapa-buraco, corte de vegetação e implantação emergencial de sinalização, para reduzir um pouco o risco e o desconforto”, afirma Andrade. Nesse mesmo período, o centro de controle operacional e as bases de guinchos e ambulâncias foram implantados, além das praças de pedágio e as primeiras torres para comunicação via rádio. Dezoito anos depois, a empresa já construiu 66 quilômetros de terceiras faixas, restaurou completamente as pistas e acostamentos, reconstruiu 21 pontes, implantou oito viadutos e trincheiras, além de 69 acessos e trevos e 12 quilômetros de duplicações, como no trecho das fotos abaixo. Nelas, é possível ver a região da ponte sobre o Rio das Mortes, em 1997, e hoje.

Deixar uma Resposta