Mudas frutíferas são plantadas no Bosque das Grevíleas de Maringá

0
Ao todo, já foram cultivadas mais de 1.000 árvores de 100 espécies com o apoio da VIAPAR
Ao todo, já foram cultivadas mais de 1.000 árvores de 100 espécies com o apoio da VIAPAR
Quem visita o Bosque das Grevíleas em Maringá, de longe estranha ao ver alguns pontos brancos em meio às árvores. Isso nada mais é do que vida. São novas plantas crescendo em meio às velhas árvores que compõem o cenário. No lugar de cada grevílea morta a Organização Não Governamental Funverde cultiva uma nova, no caso, uma espécie frutífera. Um trabalho invisível realizado faz sete anos. Para isso a instituição recebe o apoio da concessionária de rodovias VIAPAR, a qual também ampara outros projetos ambientais da ONG.

Ao todo, já foram cultivadas mais de 1.000 árvores somente no espaço, chegando a 3.500 ao final do projeto Bosque Sensorial. “É uma forma de mostrar, principalmente para as crianças que frequentam o local, que existem outras frutas além de maça e banana. Caqui, pitanga, ingá, abacate e manga são algumas das mais de 100 espécies plantadas ali onde as pessoas sempre realizam piqueniques. Sem o apoio da concessionária nada disso sairia do papel, uma parceria de quem quer fazer, com quem pode fazer”, declarou a instituidora e voluntária da Funverde, Ana Domingues.

Recentemente a ONG também cultivou quase 30 mudas de Ipê Roxo na sede da VIAPAR, em Maringá. Elas foram plantadas no espaço onde atualmente é realizado o projeto da Oficina de Trânsito, bem ao lado do Bosque do Trabalhador, outro plantio coordenado pela Funverde. Em paralelo a concessionária auxiliou esta mesma instituição no plantio de 40 mil árvores as quais ajudam a reflorestar a mata ciliar em quatro rios de Maringá. E se você pensa que as ações ambientais da empresa param por ai está enganado.

Preocupada com a preservação da natureza a VIAPAR mantém diversos outros programas ecológicos. Um deles consiste no recolhimento de lixo às margens das estradas administradas nas regiões Norte, Noroeste e Oeste do Paraná. A parte são realizadas ações voltadas para o descarte correto de componentes eletrônicos e lâmpadas fluorescentes. “Além disso, recentemente a concessionária plantou 610 árvores nativas nas alças do contorno de Campo Mourão”, frisou o engenheiro de Segurança, responsável pela Gestão Ambiental da VIAPAR, Guilherme Giandon.

Neste caso, as mudas foram fornecidas pelo viveiro do município e o cultivo realizado em parceria com o Instituto Ambiental do Paraná (IAP).
(Flamma Comunicação)

Deixar uma Resposta